Adisseo

Manejo de micotoxinas

O que são micotoxinas?

Micotoxinas são produtos metabólicos secundários altamente tóxicos de fungos (mofos). Os fungos que produzem as micotoxinas prejudicam as safras, o que pode provocar grandes perdas econômicas em todos os níveis da produção de alimentos e de rações.

Além disso, muitas das micotoxinas têm efeitos danosos à saúde: causam doenças e até mesmo a morte de animais e seres humanos que consomem rações e produtos alimentícios contaminados. Atualmente, há mais de 500 micotoxinas conhecidas.

As mais preocupantes são divididas em seis principais categorias: aflatoxinas, tricotecenos, fumonisinas, zearalenonas, ocratoxinas e os alcaloides de Ergot.

Os fungos que as produzem se dividem em dois grupos: fungos de campo, que produzem micotoxinas nas plantações antes da colheita (pré-colheita), e fungos de armazenamento, que produzem micotoxinas principalmente após a colheita (pós-colheita). Os fungos Fusarium e Claviceps são na maioria das vezes considerados fungos de campo, enquanto Aspergillus e Penicillium são frequentemente referidos como fungos de armazenamento.

mycotoxin-aspergillus-fungi
mycotoxin-aspergillus-mycotoxin
mycotoxin-claviceps-fungi
mycotoxin-claviceps-mycotoxin

 

mycotoxin-fusarium-fungi
mycotoxin-fusarium-mycotoxin
mycotoxin-penicillium-fungi
mycotoxin-penicillium-mycotoxin

As micotoxinas levam à queda da produtividade e da rentabilidade

Sintomas das micotoxinas nos suínos

Em geral, os suínos são os animais de produção mais sensíveis às micotoxinas. As aflatoxinas suprimem o sistema imunológico. O primeiro sinal de contaminação por aflatoxina na dieta é a diminuição do consumo de ração. Os sinais clínicos, dependendo do nível da contaminação, vão da redução no crescimento à hepatose e à morte. Dentre os tricotecenos, o desoxinivalenol e a toxina T-2 são os mais relevantes na indústria suína. A toxina T-2 inibe a ingestão de ração. O desoxinivalenol reduz a ingestão de ração e o crescimento e causa vômitos. As ocratoxinas são hepatotóxicas e nefrotóxicas, além de provocar outras toxicidades crônicas específicas. Os efeitos da intoxicação por ocratoxinas são a redução no crescimento e no ganho de peso e o surgimento de lesões renais. A zearalenona provoca principalmente efeitos estrogênicos nos suínos. Em fêmeas prenhas ela aumenta a ocorrência de abortos e natimortos. Nas demais fêmeas, a ração contaminada por zearalenona induz inchaço e vermelhidão na vulva, falsos estros e falsa gestação. As fumonisinas atingem o fígado, os pulmões e o pâncreas e causam edema pulmonar nos suínos.

Sintomas das micotoxinas nas aves

As aves também são sensíveis às diferentes micotoxinas e têm diferentes reações. As aflatoxinas são as toxinas mais imunossupressoras; no entanto, os frangos de corte são menos sensíveis do que as outras aves, como os patos, os gansos e os perus. Os tricotecenos do tipo A (toxina T, toxina HT-2, diacetoxiscirpenol) são muito preocupantes para as indústrias avícolas e provocam perdas econômicas em termos de produtividade. Eles são altamente tóxicos para as aves, especialmente as galinhas, devido à baixa LD50. Principalmente a toxina T-2, que leva à redução da ingestão de ração, do peso corporal e da qualidade dos ovos para reprodução e causa lesões orais. Pintos e perus jovens são altamente sensíveis às ocratoxinas. Essas são nefrotóxicas e podem impedir a ingestão de ração, o crescimento e a produção de ovos, além de enfraquecer a qualidade da casca do ovo. Os sinais da exposição às fumonisinas são a imunossupressão, a diminuição do peso corporal e do ganho médio de peso diário, bem como o aumento do peso da moela. Em comparação a outras espécies, como os suínos, as aves parecem ser menos afetadas pela zearalenona, ao passo que combinações de micotoxinas pode provocar perdas significativas relacionadas à fertilidade e à eclodibilidade.

Mycotoxin symptoms in ruminants

Aflatoxinas, tricotecenos e zearalenona são tão preocupantes em ruminantes quantos em animais monogástricos. No entanto, os ruminantes adultos são geralmente mais resistentes aos efeitos da micotoxina do que os animais monogástricos. Isso porque alguns microrganismos do rúmen têm a capacidade de desintoxicar as micotoxinas. Geralmente, os bezerros são mais sensíveis às aflatoxinas do que o gado adulto. As micotoxinas mais comuns, ou seja, as aflatoxinas, os tricotecenos e a zearalenona, são preocupantes para as vacas. Os sinais clínicos da ingestão de ração contaminada por aflatoxinas incluem a redução do consumo de ração e da produção de leite, diarreia, mastite aguda, perda de peso, distúrbios respiratórios, perda de pelos, danos ao fígado e imunossupressão. O metabólito M1 da aflatoxina passa para o leite no nível de 1% a 6% da aflatoxina B1 consumida. Vários estudos mostraram que os ruminantes são menos afetados pelo desoxinivalenol (DON) porque ele é metabolizado em de-epoxi menos tóxico no rúmen. Contudo, o DON é associado à redução na ingestão de ração e à menor produção de leite e gordura do leite em gado leiteiro. A toxina T-2 provoca perda de apetite e de peso, crescimento mais lento, gastroenterite, diminuição da produção de leite e da resposta imunológica em bezerros. Além disso, a toxina T-2 tem sido relacionada à síndrome do intestino hemorrágico por prejudicar a função imunológica. A zearalenona provoca, dentre outras coisas, processos reprodutivos anormais em bovinos, ovinos e outros ruminantes, levando a falsos estros, anestro, desenvolvimento mamário prematuro e abortos.

Controle de micotoxinas: identifique os riscos e adote a melhor estratégia

adisseo-program-chart

 

 

Da colheita à ração, a produção de micotoxinas é um processo cumulativo. Ela é controlada por diversos fatores, principalmente pelas condições climáticas e pelas práticas agronômicas durante o crescimento da cultura.
Mas cada micotoxina tem seu próprio modelo de desenvolvimento, ou seja, a cada ano as plantações são contaminadas de forma diferente, tanto em termos de quantidade, quanto em tipo de micotoxina. Assim, o risco está sempre presente e em constante mudança.
Por meio de uma abordagem holística pode-se identificar o risco e adotar a melhor estratégia. Há décadas, clientes do mundo todo trabalham de maneira bem-sucedida com o nosso programa de controle de micotoxinas. Oferecemos uma abordagem integral que passa por todas as etapas da cadeia. A gama de serviços MycoMan permite que você identifique seus riscos, desde as matérias-primas até os animais.
As soluções Unike® Plus, Toxy-Nil® Plus e Toxy-Nil® protegem seu animal. Além do custo-benefício, fornecemos a proteção máxima contra um amplo espectro de micotoxinas.

 

Por favor entre em contato com seu representante local Adisseo sobre a disponibilidade na sua região.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE O Controle de micotoxinas

  • Levantamento de micotoxinas no Milho: Adisseo Brasil 2020
Load More
Need more information about Mycotoxin Management® ?

Tweets


Different actors of the 🌾 feed industry share their opinions and experiences on liquids usages and values, according to their backgrounds.
Read the full article here ➡️ https://t.co/ZboJNZ2F0t via @FeedStrategy https://t.co/Tf18EYT5pT
Adisseo photo

One of the possible #MycotoxinRisk management strategies is that of testing for the presence of mycotoxins in #FinishedFeeds 🧪Learn more ➡️ https://t.co/F93UQ6iJv5 https://t.co/cQYRQIabhn Adisseo photo

💼 Do you want to join our team in #Brazil 🇧🇷? Become our new Ruminant Technical Sales! Apply: https://t.co/0D0guXbWjd https://t.co/SMQ3VdmvQG

Over the past few weeks, #RawMaterialPrices have dramatically increased 📈 With the COVID-19 situation, this drives us to react. We propose some practical solutions that will help to reduce, as much as possible, the impact of price rise on the feed cost➡️ https://t.co/ZvUAYiGjFI https://t.co/zSa4SspuLi Adisseo photo

Through our 40 years of expertise, we want the best for your animals! 🐮🐷 Thanks to MET® AT88, guarantee your monogastric performance ➡️ https://t.co/RIMKbP55Dv https://t.co/3PSbD5PqJP Adisseo photo

[ #DoYouKnow?] In 2015, we were the first international company to be listed on the Shanghai stock exchange! 📈 https://t.co/9viL5NQPK5 Adisseo photo